Menu

terça-feira, 17 de abril de 2012

Receita: Delícia de morango

Fala ae galera da gastronomia, como vão todos? Bem espero! Sei que não tenho sido muito assíduo nos posts, acabei de começar minhas aulas no MBA e vou precisar de muita força de vontade para manter este blog firme e forte com a dedicação que merece. Mas, gastronomia nunca em segundo lugar! Prometo fazer o que estiver ao meu alcançe para conseguir manter este blog ativo, na medida do possível!

Para compensar vocês desta espera, hoje vou postar uma receita bombástica, uma sobremesa super simples de fazer, mas que sai uma das maiores delícias que este blog já apresentou. O próprio nome da receita já diz tudo: delícia de morango.

Sem enrolação, vamos ao trabalho!

Características


CategoriaSobremesa
Tempo de preparoAproximadamente 1 hora
Rendimento10 porções
ComplexidadeSimples


Ingredientes


- 2 latas de leite condensado
- 2 latas de creme de leite
- 4 limões
- 1/2 pacote de biscoito de maisena
- 2 caixas de morangos frescos
- 1/2 barra de chocolate meio amargo
- 1/3 xícara (chá) de leite

Preparo

Como eu disse, essa receita é bem facinha de fazer, realmente não tem mistério nenhum. Eu quase classifico ela como "Muito simples", mas como temos todo o trabalho de montar as camadas, e se errar neste ponto vira uma gororoba (mas ainda sim gostosa), vou deixar como "Simples". A sobremesa se assemelha bastante com um pavê, já que montaremos diversas camadas, uma a uma. 

A primeira coisa a se fazer é basicamente um musse de limão, que será utilizado na primeira e terceira camada a sobremesa. Não há muito mistério, abra as latas de leite condensado e creme de leite, despeje tudo dentro de um liquidificador potente, esprema o suco dos dois limões e acrescente na mistura. Deixe tudo batendo por cerca de dois minutos. O leite condensado misturado ao creme de leite deve engrossar um pouco após batido, adquirindo uma levíssima cor esverdeada. 

O sabor do limão, neste caso, é mais para complementar o sabor azedinho do morango. Isso resulta em uma ótima harmonia de sabores.

Pegue uma travessa média/grande, certifique-se de que ela poderá acomodar todo conteúdo da sobremesa com uma certa folga, caso contrário você poderá por acidente afundar os morangos que utilizaremos no final para decorar.

Despeje a primeira camada dentro da travessa. Coloque uma quantidade generosa do musse e distribua uniformemente por esta primeira camada. 

Abra as caixas de morangos e vá separando os melhores, cortando pedaços um pouco maior que a metade. Estes mais bonitinhos serão utilizados depois para decorar no final. As metades que sobrarem e os outros morangos não tão bonitos, corte em rodelas, sempre lavando-os  e removendo as folhinhas e a parte esverdeada, que geralmente é insossa. Preencha toda camada com os morangos em rodelas, tenha generosidade, afinal, é uma delícia de morango!



Por cima dos morangos, aplique  mais uma camada do musse, distribuindo uniformemente pela travessa, até que não seja mais possível ver os morangos. Pegue as bolachas de maisena e faça uma camada das bolachas por cima do musse. Não é necessário molhar os biscoitos, e se necessário quebra-los para poderem caber na travessa, não hesite em faze-lo. 


Estamos chegando lá. Agora vamos aplicar mais uma última camada de musse (já que é a última, pode utilizar tudo que sobrar) e por fim, pegue aqueles pedaços bonitos de morango que separamos e utilize para enfeitar. É um detalhe que faz toda diferença, ou você não sabe que nós comemos com os olhos? Sem falar que dá uma consistência à sobremesa. 

Agora vamos à última camada, e nem por isso menos importante. Na verdade, acho que ela é uma das mais importantes. O gosto do chocolate meio amargo dá uma quebrada legal no gosto doce, sem falar que fica bonito visualmente. 

Derreta a meia barra de chocolate meio amargo em fogo alto em uma leiteira, acrescentando lentamente o leite, sempre misturando. Não deixe o chocolate queimar! Deixe formar uma calda grossa, mas se o rendimento ficar pouco, acrescente um pouco mais de leite. 

Estamos no fim. Pegue a calda de chocolate amargo e, com bastante precisão no movimente, distribua por cima da sobremesa, formando linhas horizontais. Em seguida, repita o processo, formando linhas verticais. No fim, as linhas se encontrando deverão formar quadrados. Ufa!

É isso ae! Parabéns, esta é uma sobremesa que toda família vai apreciar! Basta um pouco de dedicação e você irá surpreender a todos. Bom apetite e até a próxima!





sábado, 7 de abril de 2012

Brasil quer emplacar o peixe pirarucu como o "bacalhau da Amazônia"

Bom dia boa gente da gastronomia, como vão? O post de hoje é sobre uma notícia muito interessante que vi no G1, e como estamos em época de Páscoa, que é uma época onde muitas pessoas variam e comem peixe, principalmente bacalhau, achei tudo a ver divulgar esta noticia.

Vamos a uma pergunta básica: o que é bacalhau? Primeira resposta que vem à mente da maioria: um peixe. Errado, bacalhau não é um peixe específico, mas está mais para um processo industrial cujo produto final é um produto não perecível salgado, capaz de aguentando longas jornadas. Tudo bem que não é todo peixe que pode virar bacalhau, não é bagunça, mas cada vez mais espécies de peixes estão sendo aceitas para o preparo desta iguaria. Um dos motivos é que quanto mais rara uma espécie específica é caçada, menor será sua disponibilidade, ainda mais para um produto consumido em escala mundial, como o bacalhau.

Tendo isto em mente, Brasileiros tiveram a genial ideia de propor que o Pirarucu, gigante da Amazônia, se tornasse uma das espécies aceitas na fabricação do bacalhau. Isto se tornou possível, dentre outro motivos, pela implantação da primeira indústria de salga de pescados em Maraã, a 645 quilômetros de Manaus. De acordo com o governo da Amazônia, a fábrica é a primeira da America do Sul. Sem dúvida uma ótima oportunidade sustentável de exploração de um novo nicho para o povo Brasileiro. Tenho certeza que se levada para frente, esta ideia pode trazer muitos benefícios para este povo tão batalhador que é o povo do Amazonas. E o bacalhau, que é um produto importado e de difícil acesso, chegaria de forma muito mais fácil à nossas mesas! Para mim, tudo de bom.

Se interessou nesta? Veja a matéria completa no G1.