Menu

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Chegada em Londres, cerveja Carlsberg no Piccadilly Circus - Viagem Europa - 16º dia - Parte III

Fala minha gente, boa noite! Depois de um tempo sem postar sobre a viagem gastronômica de 18 dias pela Europa, hoje resolvi continuar e afinal ainda temos 2 dias maravilhosos por Londres, com muitas gostosuras. Admito, essa foi a cidade onde ingeri mais cervejas, mas, afinal de contas, não posso me culpar, Londres é o país correto para isto.

De fato, já que comecei falando de cervejas, vou mencionar um fato: não sei se apenas em Londres ou também em outras cidades da Inglaterra, o índice de bebedeira é tão grande que foi necessário criar uma lei que proíbe que o álcool seja vendido após as 23:00h, ou pelo menos foi o que a guia nos disse. Porém, no pub (espécie de bares bem mais rebuscados, estilosos e badalados) em que estivemos, não foi o que presenciamos, a bebida foi vendida até perto das 01:00 da manhã!

A chegada em Londres foi mais agitada do que esperávamos. Havíamos partido mais cedo de Cantersbury, direto em direção à cidade do Sherlock Homes, chegando lá, a guia já foi nos levando de ônibus para conhecer a bela cidade à noite. Mas é claro, ao final desse tour turístico, ficamos em um dos lugares mais agitados da cidade: a praça Piccadilly Circus. Como se não tivéssemos visto agitação o suficiente nestes 16 dias! Andando meio perdidos pelas ruas, fomos abordados por um pessoal de um restaurante que nos deu um mapinha para chegar lá. Até que foi bem vindo, pois as ruas estavam bem cheias.

Este tal "restaurante" era mais uma espécie de boteco com alguns petiscos. E serviam os mais variados drinks. Só este quadro de drinks que estava na entrada do lugar já faz bater as boas lembranças (e a fome), mas neste dia ficamos leves. Pedimos algo para comer e enquanto esperávamos, uma cervejinhas Carlsberg e para minha esposa, um Ice Tea.

A cervejinha Carlsberg caiu muito bem, apesar de ter custado 3,50 libras, o que equivale a aproximadamente 10 reais, por uma garrafinha long neck (!!). Pelo menos ela veio geladinha. Ficamos bebericando por um tempo, descansando da árdua viagem.


Por fim, chegaram os aperitivos, pedimos coxinhas de frango frito. Pois é, por lá podemos encontrar muitos petiscos deste tipo, comidas americanizadas e é claro, as batatas inglesas. Vocês verão que no próximo post sobre a viagem à Europa comemos um belo prato de costela no Friday's, um lugar com comida tipicamente estilo americana.

Comemos tranquilamente e saímos do estabelecimento. A conta, cerca de 15 libras. Não posso dizer que foi barata, mas este é o lado ruim de Londres e Inglaterra como um todo: como a moeda local, a libra, vale quase 3 vezes mais que o real, tudo acaba ficando bem caro. Mas estávamos de férias, tudo valia a pena.

Para finalizar este dia agitado, demos mais uma volta pela Piccadilly Circus, onde tirei esta bela foto em uma das mais belas fontes da cidade, "The Four Bronze Horses of Helios". Por enquanto vou me despedindo pessoal, no próximo post sobre a viagem vêm pratos e drinks especiais então não percam! Fui.



domingo, 26 de fevereiro de 2012

Receita: Picadinho de carne no shoyo com repolho roxo

Eai pessoal, como vão? Fim de domingo, carnaval já foi, e amanhã começa mais um ciclo de nossas vidas. E nós, temos que seguir em frente, que opção temos? Agradecendo sempre a deus por estarmos aqui e podermos curtir nossas vidas! Existe coisa melhor que aproveitar os mais simples prazeres?

Antes deste fim de semana significativo terminar, vou deixando com vocês uma receitinha com repolho que preparei este fim de semana. Vocês já devem ter percebido que sou fã de repolho. Algumas pessoas arrepiam, então é por isto mesmo que faço questão de mostrar como é fácil fazer alguns pratos maravilhosos com esta verdura tão versátil, ainda mais a versão roxa, que na minha opinião, tem mais sabor. Ao trabalho!

Características


CategoriaPrato principal
Tempo de preparoAproximadamente 30 minutos
Rendimento4 porções
ComplexidadeMuito Simples


Ingredientes

- 400g de alcatra ou filet mignon
- 1/2 repolho roxo pequeno
- 1 cebola roxa
- 6 dentes de alho
- 1/2 xícara (chá) de champignon
- 4 colheres de sopa de cebolinha cortadinha
- 8 folhas de salsinha
- 1/3 de xícara (chá) de molho de soja (molho shoyo)
- sal e pimenta a gosto


Se não tiver cebola ou repolho roxo, pode usar os tradicionais, mas o roxo da uma cor vibrante e sabor ao prato.

Preparo

Este prato é jogo bem rápido. É uma receita muito simples de se fazer.


Corte a carne em tirinhas. Corte a cebola em rodelas e o repolho pode cortar grosseiramente, em formato similares a tiras ou lâminas, mas não precisa ter muito cuidado ao cortar o repolho. Esprema os alhos. Separe todos os ingredientes e deixe-os ao alcance para vocês ir aplicando no preparado conforme for avançando no cozimento.
Tempere a carne com o sal e a pimenta a gosto. No meu caso, sempre gosto de usar aqueles temperos a base de sal já prontos, mas não há nenhum problema em aplicar sal puro. Porém, muito cuidado. Todo prato que se utiliza o molho shoyo, é necessário cuidado especial, pois o molho já é muito salgado e se você aplicar muito sal vai acabar estragando o prato. Então, tempere com menos sal que você temperaria normalmente. Enfim, pique a salsinha e tempere a carne com a salsinha picada e o alho.


Pegue uma frigideira bem grande, ascenda em fogo alto e regue um pouco de azeite. Deixe esquentando por alguns segundos e em seguida aplique toda a carne. Deixe fritando, até pegar uma cor bem douradinha. É importante que toda a carne esteja dourada e cozida por dentro antes de colocar os outros legumes.


Quando a carne estiver bem dourada, aplique os outros ingredientes nesta ordem: a cebolinha, a cebola em rodelas e finalmente, o repolho. Mexa bem, de forma a misturar os legumes com a carne. Acrescente 3 colhes de sopa de água, apenas para ajudar a cozinhar os legumes junto com a carne. Deixe fritando e de tempos em tempos vá mexendo para que os legumes que estão mais na parte de cima possam fritar também.

Quando a cebola e o repolho diminuírem de tamanho e já não estiverem mais tão duros, você pode por fim aplicar o champignon e o molho shoyo. Primeiro aplique o champignon, misturando bem com os outros ingredientes, e por fim aplique todo molho shoyo, distribuindo uniformemente. Aplique por fim mais 4 colheres de sopa de água, para ajudar a formar um caldinho. Misture bem todos os ingredientes e aí está seu picadinho!




Aqui vai uma foto de como ficou no final:


Bom apetite! Abraços e até a próxima!






sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Creperia Brasil, o melhor crepe de Piratininga

Fala minha gente boa, como anda essa ressaca de carnaval? Espero que você tenha curtido bastante, pois eu dei foi uma boa fugida do carnaval agitado do Rio este ano. O Mundo Gastronomic tirou umas pequenas férias durante este carnaval, mas agora volta com tudo!

Conforme mencionei no meu último post, neste carnaval eu fugi para Camboinhas, um bairro de beira de praia localizado em Niterói.  Camboinhas possui uma praia linda, com águas bem calmas, apesar de não tão limpas como eu gostaria. Ficamos em uma casa próxima a praia, a menos de 5 minutos da brisa do mar. Encaramos altas aventuras, altos frozens, cervejinha e petiscos na beira da praia, tudo de bom. Passamos por diversos lugares durante estes 4 dias de viagem, mas um que se destacou foi essa creperia show de bola que conhecemos, a Creperia Brasil.

Encontramos o lugar andando por uma ruazinha movimentada ali perto de camboinhas, em Piratininga, a rua Almirante Tamandare. Para ir de camboinhas até Piratininga fomos de carro, mas nos falaram que daria tranquilamente para ir a pé, apesar de já ser noite.

A creperia possui uma grande variedade de crepes, acho que chegam perto de 100 opções. Possui também interessantes opções de cerveja, como a Therezopolis Gold em garrafa de 600ml e Heineken long neck. Junto com a decoração do lugar, resulta em uma combinação bem agradável.



As escolhas de crepe que eu e minha esposa fizemos foi direta e sem muita criatividade, eu diria, mas com muita genialidade, com toda modéstia. Crepe de gorgonzola. Mas por algum motivo estávamos com muita vontade. Então, foi crepe de gorgonzola para ambos.



Esse crepe de gorgonzola realmente estava perfeito, de derreter na boca, fizemos uma ótima escolha. O crepe deste lugar possui um sabor diferenciado, uma boa alternativa para quem estiver pelas redondezas. Mas o melhor ainda estava por vir. Pedimos a sobremesa.

O que realmente nos deslumbrou  foi o crepe de chocolate. Com a massa crocante e calda de chocolate quente e bem servida, pudemos nos esbaldar com esta combinação bem harmonizada. O gosto deste crepe de chocolate me lembrou o gosto dos crepes do Chez Michou, que na minha opinião, fazem alguns dos melhores crepes! E claro, se você quer um mais incrementado, haviam opções bom bola de sorvete, castanhas, morango. Fomos no mais tradicional, que já resultou em boas lembranças, imagina algo mais incrementado?




Após esta fartura, pedimos a conta. A conta, por pessoa, saiu, se não me engano, 35 reais, mas se levar em consideração que nos esbaldamos em cerveja (nem tanto, mas bebemos bastante) e que cada pessoa comeu por volta de um crepe e meio (2 salgados e um doce por casal), eu diria que saiu bem em conta. Fica minha recomendação! Abraços e até a próxima!


sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Receita: Chuchu recheado

Fala pessoal! Carnaval ta chegando e eu, mesmo sendo carioca da gema, vou fugir dessa muvucada total que tem rolado aqui no Rio. É muito legal, mas as vezes é bom fugir do caos. Por conta disto, o Mundo Gastronomic deve diminuir um pouco o ritmo nos próximos dias. Mas hoje ainda tem receita, antes da viagem vou deixar mais uma das minhas: Chuchu recheado.

O chuchu recheada é parecido com a batata recheada, mas é claro, é com chuchu. Na verdade, essa receita pode ser preparada com uma grande variação de legumes e similares, inclusive berinjela, pimentão, abobrinha, tomate e muitos outros.

Sem mais papo, vamos ao trabalho!

Características


CategoriaAcompanhamento
Tempo de preparoAproximadamente 35 minutos
Rendimento2 porções por chuchu
ComplexidadeMuito Simples


Ingredientes



- 1 chuchu de tamanho médio
- 1/3 de xícara (chá) de requeijão (de preferência Catupiry)
- 1/3 de xícara (chá) de queijo parmesão ralado
- 1 fatia de peito de peru de aprox. 10g
- orégano
- champignon para decorar


Pessoal, uma dica primordial. Por favor, use Catupiry!! Apesar de carinho, ele dá um incremento total no prato, simplesmente é outro mundo. Vale a pena!

Preparo


Esse prato é jogo rápido. Primeiro de tudo, claro, descasque o chuchu, deixe ele lisinho.

Em seguida corte o chuchu exatamente ao meio. Tome o cuidado de cortar na lateral do chuchu, deixe a base com o maior tamanho.

Uma dica para tirar aquela nata que o chuchu solta é esfregar uma metade na outra, removendo o excesso.

Coloque os chuchus para cozinhar. Fique de olho no ponto, você  tem que conseguir fincar um garfo até a metade nele para estar no ponto.

Uma vez pronto, pegue cada metade do chuchu e faça uma cavidade utilizando uma colher pequena. Cuidado nesta hora para não quebrar o chuchu, não utilize muita força. Se o chuchu estiver muito duro, significa que ainda não está no ponto, coloque para cozinhar mais um pouco.

A cavidade deve ser funda, mas você deve deixar uma borda no chuchu. Para ter uma ideia melhor, veja a da foto.


Aplique o requeijão dentro da cavidade, de forma a preencher ela quase toda. Não preencha toda, muito menos deixe o requeijão em excesso.

Em seguida, regue com queijo parmesão. Pode ser bastante generoso, tem que formar uma pequena montanha. Espalhe uniformemente por toda área da cavidade.


Pegue a fatia de peito de peru e corte em pequenos pedacinhos que você deve dobrar e espalhar por cima do queijo. Pode formar fileiras, ou simplesmente regar por cima. Coloque no topo de tudo duas fatias de champignon e reque com orégano à gosto. 

Agora basta levar ao forno! Pegue uma travessa, coloque os chuchus recheados, leve ao forno para gratinar por aproximadamente 15 minutos. O ideal é usar a boca da parte de cima do fogão. Vá checando de tempos em tempos para verificar se está no ponto. 

Quando o queijo estiver derretido, verifique o ponto ao seu gosto. Aqui uma foto dele pronto para ir para mesa:




Abraços e até a próxima!




-->


terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Receita: Gratinado de repolho

Fala pessoal! Boa noite para todos, hoje o Mundo Gastronomic vem com mais uma receita exclusiva, só para vocês. É o repolho gratinado especial. É uma receita bem baratinha de fazer e que da um acompanhamento e tanto para seu prato principal. Vamos que vamos!

Características


CategoriaAcompanhamento
Tempo de preparoAproximadamente 45 minutos
Rendimento5 porções
ComplexidadeSimples


Ingredientes

- meio repolho branco não muito grande
- 1/5 de xícara (chá) de azeite
- 1/5 de xícara (chá) de cebolinha picadinha
- 4 dentes de alho
- meia cebola
- 1 tomate
- 1 ovo
- 1/2 lata de creme de leite
- 1/2 xícara (chá) de queijo parmesão ralado
- sal a gosto


Preparo

Esta receita não tem mistério, só não classifico como muito simples pois tem a parte do gratinado que requer uma atenção extra para ficar no ponto. Ao trabalho!


Descasque e esprema os alhos. Remova toda a casca do tomate. Pique o repolho, a cebola e o tomate grosseiramente. Não precisa cortar a cebola em pedacinhos muito pequenos.

Separe todos os ingredientes e pegue uma frigideira grande, onde será preparado o recheio do gratinado.



Ascenda a frigideira em fogo alto e aplique todo o azeite. Deixe o azeite esquentar por alguns segundos e aplique toda a cebola e todo o alho. A cada intervalo de alguns segundos não maior que 15 mexa os ingredientes. Deixe dourar por um tempo.




Quando o preparado estiver bem douradinho, aplique o tomate e a cebolinha. Para ajudar a cozer os ingredientes, jogue 2 colheres de sopa de água. Misture bem todos os ingredientes. Quando estiver com a cara como a da foto, você pode aplicar o repolho.




Aplique todo o repolho, tomando o cuidado de não transbordar a frigideira. Neste momento todo o repolho estará por cima, misture bem todos os ingredientes de forma que o preparado vá ficando uniforme. Deixe por um tempo de forma que o repolho cozinhe e fique mais molinho.

Neste momento, quando o repolho já estiver mais mole, aplique sal a gosto e vá experimentando. Quando estiver de agrado, apague o fogo e deixe esfriar por um tempo. Por fim, aplique o ovo, para dar liga nos ingredientes. Misture, misture, misture.

Pegue uma travessa não muito grande, unte com azeite e despeje todo o recheio. Utilizando uma colher de pau, vá distribuindo o recheio de forma nivelada por toda a travessa.

Quando o recheio estiver bem distribuído, aplique o creme de leite por cima do recheio e por fim o queijo parmesão ralado por cima de tudo. O queijo dá sabor e um bom visual ao gratinado.

Ufa! O mais difícil já foi, agora é só levar ao forno. Se seu fogão possuir a chama da parte de cima, melhor ainda, dá um ótimo resultado. Caso contrário, apenas deixe um pouco mais de tempo. Com a chama na parte de cima eu deixei 15 minutos, checando na metade do tempo para ver se está no ponto. Aí está:


Abraços e até a próxima!








segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Pale Ale Single Hopped em Taverna de Cantersburry - Viagem Europa - 16º dia - Parte II

Como vão amantes de gastronomia, hoje tem mais viagem à Europa aqui no Mundo Gastronomic! Dedico o post de hoje às diversas cervejas que vimos em Cantersburry, já na Inglaterra. Esse país merece esse tipo de homenagem, as cervejas que tomamos lá foram todas fenomenais!

No início deste 16º dia, já no finalzinho desta incrível viagem, havíamos pego um navio para ilha da Grã-Bretanha, ilha onde fica situada maior parte do país que conhecemos como Reino Unido. O navio era imenso, levou o ônibus da excursão inteirinho. Após uma hora navegando pelo mar, chegamos na imensa ilha, onde rapidamente pegamos nosso rumo até Cantersburry, uma cidadezinha que paramos antes de chegarmos ao destino final da viagem: Londres. Foi a cidade onde tivemos a noite mais animada da viagem. Vou falar um pouco mais sobre Londres no próximos post. Hoje falo de Cantersburry.


Cantersburry é uma pequena cidade que fica a poucos quilômetros da costa onde desembarcamos no Reino Unido. Como toda pacata cidadezinha inglesa, é composta por aquelas casinhas típicas, com telhados angulosos  e janelinhas estrategicamente posicionadas. Dentro da cidade, pudemos encontrar muitas lojinhas de doces e antigas tavernas e pubs. Uma curiosidade notável é que encontrávamos muitos estudantes (era dia de semana) vestidos com uniformes bem rigorosos que incluíam ternos e trajes bem formais. Lembravam muito os alunos de Hogwarts, a escola de bruxaria do Harry Potter, rs. É claro que sei que a autora teve muita inspiração nas cidadezinhas da Inglaterra, mas ver assim na rua é outra coisa.

Outro nicho que vimos muito foram músicos e artistas de rua, tocando os mais variados estilos. E música de boa qualidade! Nestes países, muitas pessoas conseguem viver só disso.

Ficamos muito pouco tempo na cidade, mas deu tempo de fazermos duas coisas: experimentarmos um dos doces tradicionais do lugar e tomar uma cerveja.


Esta lojinha de doces que fomos lá parecia ser especializada em bolos e cupcakes. Havia bastante variedade e minha esposa ficou louca, queria levar tudo. E realmente, olhando todas as opções que haviam, ficávamos perdidos, não tivemos opção a não ser perguntar para moça da loja. Com aquele sotaque puxado em Inglês, conseguimos entender de forma geral os sabores.



Acabamos pedindo este pedacinho de bolo para experimentar, acho que era de morando com chocolate. Gostosinho, essa cobertura era durinha, beeem doce, bem que a menina havia nos alertado. Tão doce que minha esposa não aguentou comer tudo e é claro, deixou para o comedor de restos aqui detonar.








Após os docinhos e uma boa caminhada pela cidade, estava na hora do grande prêmio: eu estava simplesmente me mordendo para colocar a boca em uma caneca de cerveja Inglesa. Isto não é apenas onda, existe um motivo para as cervejas dos países da Grã-Bretanha serem tão famosas. Não só as cervejas, mas os Wiskys também. É por causa da água, as água que correm por aquelas regiões são de excelentíssima qualidade, possibilitando uma base perfeita para os produtos. Juntando-se ingredientes de primeira qualidade, daí que temos este resultado final. Se você não sabe do que estou falando, por favor, vá em algum pub na sua cidade que sirva este tipo de cerveja e você entenderá. Aqui no Rio de Janeiro existe o Shenanigans por exemplo.

Ao chegar no pub, eu discretamente tirei umas fotos dos taps, as torneiras dos chopps, pois eu não tinha certeza se eu podia sair tirando foto de dentro do estabelecimento.


Nesta foto temos a Binggleston, cerveja escura, a Single Hopped, cerveja do tipo Pale Ale super amarga, e Foundry Torpedo.

A Single Hopped eu cheguei a pedir pois achei curioso o nome Pale Ale. Extremamente amarga, mas extremamente saborosa.





Já nesta foto temos Guinness, uma cerveja escura das mais populares por lá, com malte cremoso extremamente saboroso, e a Cold Première, uma cerveja com anos de tradição, servida bem gelada. Eu particularmente gosto muito da Guinness, mas desta vez fiquei só no Pale Ale


Single Hoped Pale Ale

Posso dizer, como alguém que experimentou a cerveja, que esta não é para qualquer um. O gosto das cervejas do tipo Pale Ale é extremamente amargo, mas nem por isso é mais alcoólica que as cervejas tradicionais. O gosto parece que fica na sua boca insistentemente após um bom tempo de ingerir a bebida. Nem por isso o gosto é ruim, é possível saborear o malte enquanto ele enche sua boca com o gosto amargo. Recomendo, mas aviso: não é para qualquer um!

Curiosidade: a cerveja foi servida em temperatura quase ambiente, assim como muitas cervejas de lá.


Assim, finalizo meu relato sobre nossa breve passada por esta cidadezinha da Inglaterra. Gostaria de ter ficado mais tempo em Cantersburry!

O próximo post sobre a viagem à Europa já será em Londres, etapa final desta louca viagem de 18 dias pela Europa. Por enquanto me despeço de vocês, desejo um ótimo fim de domingo, grandes abraços!




sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Fish and Chips no navio em direção à Inglaterra - Viagem Europa - 16º dia - Parte I


Meus caros leitores! O Mundo Gastronomic já está no ar há dois meses, e tenho que dizer , com muito prazer. É muito bom poder compartilhar com vocês minhas aventuras pelo velho mundo!

Estamos muito próximos do fim desta fantástica viagem gastronômica de 18 dias à Europa. Mas neste finzinho, ainda tenho muito história para contar, de fato, um país inteiro para falar sobre. Sim, é a Inglaterra, um dos países mais magníficos da viagem (todos foram magníficos, mas a Inglaterra foi de certa forma para mim especial, como a Itália).


A Inglaterra é um país que faz parte da União Européia, mas digamos que possui suas próprias regras, próprios costumes e até a própria moeda. Antagonicamente, os pratos que podemos encontrar no país mostram uma forte influência norte americana e de outros países (a não ser, é claro, a batata inglesa).

Situada na parte sul da ilha da Grã-Bretanha, o país possui cerca de 49 milhões de habitantes e é um país que até hoje é reinado por uma rainha soberana (saiba mais).

Como dito, o país é localizado em uma ilha. Logo, nada mais plausível que termos que pegar um barco para chegar até lá. Mas falar assim até ofende! Foi uma tremenda embarcação, o ônibus inteiro da excursão coube, assim como diversos outros veículos. Admito que essas embarcações são tremendas construções, e pelo visto esta forma de transporte é bastante eficiente. Mas só tem um probleminha: como balançava!

Por dentro, era uma mini cidade ambulante, com restaurantes, cassinos, lojas, casas de câmbio. Até almoçamos no navio, apesar de não ter sido uma idéia tão boa.

O almoço neste dia não foi lá muito agradável, por diversos motivos. O primeiro foi que o navio balançava sem parar, e como era um navio imenso, os balanços eram proporcionalmente exagerados. Neste momento, só de lembrar, já me sinto novamente balançando. Mas, nem preciso dizer que eu teria passado pela experiência novamente se fosse para ir mais uma vez à Inglaterra.
Nós pedimos um prato tradicional por toda Inglaterra, o fish and chips, que significa simplesmente, peixe e batatas. Minha esposa pediu frango ao invés do peixe. Para beber, um copão de pepsi que parecia ter lá para um litro de refrigerante. Acredite, o menor tamanho devia ser uns 800 ml.

Não foi lá a refeição mais leve que se pode fazer, principalmente em uma situação como estas onde o navio ficava balançando sem parar. Resultado, tanto eu quanto minha esposa ficamos bem enjoados. Sorte que a viagem de navio durou apenas uma hora, caso contrário, podia acontecer um acidente, rs.

Enfim chegamos na Inglaterra, através de uma encosta árida, onde era possível ver rochedos brancos, típicos do lugar.

O motorista pegou o ônibus e nos levou para dentro deste belo país de famosos escritores, grandes ícones da música e é claro, o Harry Potter. Fomos direto em direção à Cantersburry, uma cidadezinha que passamos antes de nosso destino final: Londres. A excursão havia chegado ao último país da viagem.

Mas a aventura ainda não acabou! Este país tem muitas histórias para serem contadas. Aguardem os próximos posts! Por enquanto vou me despedindo. Abraços e até a próxima!


segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Receita: Espinafre refogado com alho

Eai pessoal, hoje tenho uma receita bem light para compartilhar com vocês. Nem todo mundo gosta de espinafre pois o gosto é amargo, mas com a dosagem certa de sal e um pouco de alho dá para fazer milagres com essa folha da família Chenopodiaceae (Saiba mais aqui).

Para esta receita não vamos precisar de ingredientes caros nem nada de especial, a não ser uma coisa: paciência. Pois é necessário lavar folha por folha, isto é bastante importante. Mas nada que um bom apreciador não consiga aguentar. Sem mais, vamos ao trabalho!

Características


CategoriaAcompanhamento
Tempo de preparoAproximadamente 30 minutos
Rendimento4 porções
ComplexidadeMuito simples


Ingredientes


- 2 chumaços de espinafre
- azeite
- 7 dentes de alho
- sal a gosto





Preparo


Pegue um escorredor de macarrão. Abra os chumaço, lave abundantemente as folhas de espinafre, folha a folha. Vá depositando as folhas lavadas no escorredor. Sobre os talos, eu geralmente descarto os maiores e fico com alguns menores, mas isso fica ao seu encargo. Descasque e exprema os dentes de alho.





Pegue uma panela grande, acenda em fogo alto, deposite dois filetes de azeite e coloque o alho para dourar por um tempo. Quando estiver bem douradinho, coloque todo o espinafre.





A medida em que o refogado for progredindo, as folhas do espinafre vão murchando e descendo aos poucos. Enquanto isto, vá misturando sem parar, de forma que o alho fique bem entranhado no espinafre.

Quando o espinafre estiver com uma cor mais escura, bem verde, ele está quase no ponto. Diminua o fogo e acrescente sal a gosto.




Pode falar, o mais difícil foi lavar as folhas, não?
Abraços e até a próxima!











domingo, 5 de fevereiro de 2012

Receita: Filet mignon aperitivo com molho de gorgonzola

Fala gente boa, hoje o Mundo Gastronomic tem uma receita chapa quente para mostrar para vocês, perfeita para quem gosta de ficar beliscando petiscos de carne com molho. É o filet mignon com molho de gorgonzola, razoavelmente simples e rápido, vai trazer sabor para sua refeição. Mais ação e menos papo, agora é a hora!

Características


CategoriaPrato principal
Tempo de preparoAproximadamente 45 minutos
RendimentoPorção para 3 pessoas
ComplexidadeSimples


Ingredientes

Carne



- 1/2 quilo de filet mignon
- 1/4 de xícara (chá) de cheiro verde desidratado
- 3 dentes de alho
- pimenta do reino a gosto
- tempero de sal a gosto



Molho



- 150 gramas de queijo gorgonzola
- 1/2 xícara (chá) de creme de leite em caixa
- 1 xícara (chá) de leite (isso vai depender da sua preferência da consistência do molho)
- pimenta do reino a gosto




Preparo

Carne

Esprema os alhos. Corte a carne em tirinhas, de tamanho que possam ser servidas como aperitivo.

Uma dica: o filet mignon é um tipo de carne muito fácil de se trabalhar, pois é macio e seu formato geralmente é perfeito para cortar a carne em bifes. Faça primeiro bifes a partir da peça inteira e então corte as tirinhas de carne a partir dos bifes.

Tempere as tirinhas com o alho, o sal, o cheiro verde e a pimenta do reino. Distribua bem o tempero por toda a carne, uniformemente.


Pegue uma frigideira grande, acrescente um pouco de azeite ou óleo (de preferência azeite) e deixe esquentar por alguns segundos. Aplique toda carne e deixe fritando, até a carne adquirir uma cor bem dourada. A carne ficará no ponto quando estiver com uma cor similar a da foto abaixo.



Molho


Corte o queijo gorgonzola em pedaços bem pequenos, de forma que fique como na figura.

Para que o molho fique no ponto certo, é necessário mão leve. Pegue uma panela pequena, acenda o fogão em fogo baixo e disponha todo queijo. Acrescente um pouco do creme de leite e vá mexendo, mexendo.

Vá adicionado aos poucos o creme de leite, sempre mexendo. Vá amassando o queijo na borda da panela para ajudar a desmancha-lo.

Quando todo o queijo estiver desmanchado, acrescente o leite aos poucos, sempre mexendo. Adicione o leite de uma forma que o molho fique com a consistência que desejar, se preferir mais ralo, acrescente mais leite, se preferir mais denso, coloque menos leite.

Por fim, acrescente a pimenta do reino a gosto.


Finalização

Finque alguns palitos em alguns pedaços de carne, de maneira que decore e deixe o prato com cara de aperitivo. Coloque o molho em um recipiente separado e sirva. Bom apetite!